sábado, 22 de março de 2008


SISTEMA DE CONDUÇÃO
ELÉTRICO DO CORAÇÃO


O coração consegue bombear sangue para os pulmões e para os demais tecidos e órgãos do corpo graças a uma sequencia altamente organizada de contrações que ocorrem nas câmaras cardíacas. Todo esse trabalho é controlado por impulsos elétricos.
Os impulsos elétricos que regulam o ritmo cardíaco originam-se em células do músculo cardíaco (miocárdio) especializadas que tanto iniciam quanto propagam os impulsos elétricos através do miocárdio como um precursor da contração do músculo cardíaco. Transitam através de uma rede de fibras especializadas como o sistema de condução do coração. Seus principais elementos incluem:
- o sinus ou nó sinoatrial;
- o nó atrioventricular ou NAV;
- o feixe de Hiss;
- as fibras de Purkinje.
O nó sinoatrial ou nó sinusal ou nó SA está localizado na junção do átrio direito, uma das câmaras superiores, e da veia cava superior. O nó sinusal é também chamado de marca-passo natural do coração, pois ele define o ritmo no qual o coração bate. Compreende um grupo de células especiais com habilidade de gerar atividade elétrica por conta própria. Estas células separam partículas carregadas. Depois disso, elas espontaneamente deixam vazar estas partículas carregadas para dentro das células. Isto produz impulsos elétricos nas células marca-passo espalhadas pelo coração, fazendo-o contrair. Estas células fazem isso mais de uma vez por segundo para produzir um ritmo cardíaco normal de 72 batimentos por minuto.
O marca-passo natural do coração é uma estrutura em forma de virgula de cerca de 1 a 2 cm de extensão e 2 a 3 mm de espessura, localizado próximo ao epicárdio na junção entre a veia cava superior e o átrio direito. Ele é localizado no átrio direito. O coração também contém fibras especializadas que conduzem o impulso elétrico do marca-passo (nó SA) para o resto do coração. Se a função do marcapasso é alterada, uma outra parte do sistema de condução pode assumir a tarefa de enviar impulsos.

O sinal elétrico se dissemina a partir do átrio direito para o átrio esquerdo e segue para os ventrículos, que são as duas câmaras inferiores do coração. Em resposta ao sinal elétrico, as células musculares dos ventrículos se contraem e bombeiam sangue para as artérias.

O impulso elétrico sai do nó sinusal e vai para o átrio direito e esquerdo, fazendo-os contraírem juntos. Isso leva 4 segundos. Há então um atraso natural para permitir que os átrios contraiam e os ventrículos se encham de sangue. O impulso elétrico então vai para o nó atrioventricular (nó AV), que está localizado na junção entre os lados direito e esquerdo do coração, na área onde o atrio direito e o esquerdo se encontram. A partir do nó atrioventricular, eles viajam ao longo do feixe de Hiss e se ramifica nos feixes direito e esquerdo onde se espalha rapidamente usando as fibras de Purkinje pelos ramos direito e esquerdo para os músculos do ventrículo direito e esquerdo, que se contraem ao mesmo tempo. A propagação dos impulsos elétricos através do miocárdio, faz o coração se contrair e o sangue é pressionado a sair. Na ausencia desse sinal, o coração relaxa e volta a se expandir, permitindo que o sangue penetre no seu interior.

Qualquer tecido elétrico do coração tem a habilidade de ser um marca-passo. Porém, o nó SA gera um impulso elétrico mais rápido do que os outros tecidos, então normalmente é ele que controla. Se o nó SA falhar, as outras partes do sistema elétrico podem assumir o controle, mesmo que usando uma velocidade mais lenta.

Apesar das células marca-passo criarem o impulso elétrico que faz o coração bater, outros nervos podem mudar a velocidade de disparo dessas células e a força de contração do coração. Esses nervos são parte do sistema nervoso autônomo. O sistema nervoso autônomo tem duas partes; o sistema nervoso simpático e o sistema nervoso parassimpático. Os nervos simpáticos aumentam a velocidade do coração e sua força de contração. Os nervos parassimpáticos fazem o oposto.

O coração é o órgão encarregado de gerar a energia necessária para fazer o sangue circular. Grande parte das suas funções se deve às propriedades fundamentais da fibra miocárdica, que são: automatismo, condutabilidade, excitabilidade e contractilidade.

1. Automatismo = O coração é um órgão auto-excitável pois não precisa de qualquer estímulo externo (nervoso ou outro) para se contrair. Refere-se à capacidade que possui a fibra miocárdica de gerar o impulso que determina sua contração;

2. Condutibilidade = é a propriedade que tem de conduzir o estímulo originado numa fibra até outros setores do miocárdio, e se acha especialmente desenvolvida no sistema de condução;

3. Excitabilidade = é a capacidade que o músculo cardíaco tem de responder a determinados estímulos, gerando potenciais de ação e fazendo com que as miofibrilas do músculo se contraiam de acordo com o estímulo.O coração pode ser excitado por estímulos elétricos , mecânicos, químicos (adrenalina, atropina, acetilcolina) ou térmicos.

4. Contractilidade = a fibra miocárdica tem a propriedade de contrair-se, seja por estímulos intrínsecos ou extrínsecos.

FONTE DO TEXTO:

http://www.octopus.furg.br/ensino/Teoria/circulacao/coracao.htm

http://saude.hsw.uol.com.br/fibrilacao-atrial1.htm

Um comentário:

Ana Maria. anjo do bem. disse...

Obrigada por esse trabalho maravilhoso,vc me ájudou responder: qual a sequência correta do sistema elétrico do coração?